BioHelp - Auxiliares de estudo em Biologia 12º, BioCell, Bioquímica e Genética.
Sábado, 30 de Setembro de 2006
Tratamento de Resíduos; Tipos de Resíduos e Métodos de Tratamento;
 


  • Resíduo – qualquer substância ou objecto de que o ser humano pretende desfazer-se por não lhe reconhecer utilidade. A produção de resíduos é causadora de poluição e tem vindo a aumentar com o desenvolvimento socioeconómico e tecnológico das sociedades.


Tipos de Resíduos e Métodos de tratamento:


  • Resíduos Sólidos Urbanos – são correntemente designados lixos. Incluem resíduos domésticos, industriais e hospitalares. Podem causar poluição da água, do solo ou da atmosfera.

    • Aterros Sanitários – instalações onde são depositados resíduos compactados, acima ou abaixo da superfície do terreno.

      • Os aterros sanitários devem ser construídos em locais com características geológicas adequadas e são revestidos com materiais impermeáveis, como argila ou plástico, que previnem a infiltração no solo de substâncias lixiviadas.

      • As substâncias lixiviadas (quando a água das chuvas se infiltra, dissolve substâncias químicas e arrasta-as consigo) são recolhidas e enviadas para uma estação de tratamento e os gases produzidos pelas bactérias decompositoras (biogás) podem ser utilizados na obtenção de energia.

      • Após estarem lotados, os aterros são selados, ou seja, tapados com uma cobertura de plástico e de terra que permite o desenvolvimento de plantas que diminuirão o impacto paisagístico.

      • Principais vantagens:

        • construção rápida;

        • baixos custos de manutenção;

        • grande capacidade.

      • Principais desvantagens:

        • requer grandes áreas de implantação;

        • possibilidade de contaminação de águas subterrâneas.

    • Incineração – combustão de resíduos a altas temperaturas, que, assim, se reduzem a cinzas e gases. Co-incineração – incineração nos fornos das cimenteiras.

      • Principais vantagens:

        • grande redução do volume de lixos;

        • pequena área de implantação;

        • as partículas sólidas ficam retidas nos filtros, sendo encaminhadas para os aterros sanitários juntamente com as cinzas;

        • os filtros ou precipitadores electroestáticos retiram os gases ácidos e as partículas, para que as emissões não contaminem a atmosfera;

        • quase todas as estações de incineração estão concebidas para produzirem electricidade e em algumas incineradoras há separação de materiais para posterior reciclagem.

      • Principais desvantagens:

        • poluição atmosférica;

        • emissão de substâncias tóxicas (como dioxinas);

        • custos elevados.

    • Reciclagem – recolha e reprocessamento de resíduos.

      • Reciclagem primária – conversão em produtos do mesmo tipo.

      • Reciclagem secundária – conversão noutro tipo de produtos.

      • A reciclagem insere-se numa política ambiental mais alargada, que inclui também os seguintes 2R:

        • Reduzir – reduzir ao mínimo o lixo produzido passa por diminuir o consumo de materiais descartáveis ou com embalagens excessivas e não biodegradáveis, bem como desenvolver tecnologias para minimizar a quantidade de matérias-primas necessárias para produzir um determinado produto.

        • Reutilizar – usar várias vezes um produto é uma forma eficiente de diminuir os resíduos. Para produzir qualquer objecto há sempre gasto de matéria-prima, água e contaminação ambiental, pelo que, quando reutilizamos, reduzimos os resíduos e conservamos os recursos.

      • Principais vantagens:

        • poupança de materiais e de energia;

        • redução da poluição (atmosférica, da água e dos solos);

        • redução da quantidade de resíduos sólidos;

        • protecção dos ecossistemas.

    • Compostagem – decomposição dos resíduos orgânicos (biodegradáveis) pela acção de decompositores e saprófitas, diminuindo o volume dos resíduos e produzindo o composto, que pode ser usado como fertilizante, melhorando a textura e fertilidade do solo.


  • Águas Residuais: águas que foram utilizadas em actividades domésticas, industriais ou agrícolas e que contêm uma grande variedade de resíduos. O tratamento de águas residuais é feito em estações de tratamento, ETAR. Nestas estações, as águas residuais são sujeitas a tratamentos que removem os poluentes e o efluente final é devolvido ao ambiente.

O tratamento de águas residuais consta das seguintes fases:

    • Tratamento preliminar – visa a eliminação de resíduos e de corpos sólidos. Para separar os resíduos das águas residuais, estas passam por crivos de barras ou crivos giratórios, que permitem uma eliminação mais completa dos resíduos. Em ambos os casos, os resíduos são recolhidos mecanicamente e levados para incineradoras.

    • Tratamento primário – os efluentes são conduzidos para um tanque de sedimentação de sólidos (clarificadores primários), que contém um sistema de braços giratórios, cuja velocidade de rotação é a indicada para que os sólidos sedimentem ao longo de várias horas. As partículas de matéria orgânica depositam-se no fundo e são retiradas, bem como os materiais gordurosos que flutuam e são recolhidos. Os materiais retirados denominam-se por lamas em bruto (ou lodos em bruto), que serão alvo de tratamento posterior e envio para aterros sanitários.

    • Tratamento secundário – processo biológico durante o qual bactérias aeróbias ou anaeróbias eliminam até 90% da matéria orgânica dissolvida. As bactérias decompositoras podem ser incluídas em lamas activadas, que são misturadas com as águas resultantes do tratamento primário, ou podem recobrir um leito de gravilha sobre o qual passa a água (tanques de percolação). Ao tratamento secundário segue-se uma nova decantação.

      • Como se consome oxigénio durante este processo, e para que não se atinja uma situação grave de carência bioquímica de oxigénio, recorre-se ao sistema de lamas activadas, no qual o tanque está equipado com um sistema de arejamento. Os microorganismos tendem a agrupar-se em conglomerados, que sedimentam no fundo do tanque quando a água fica sem agitação.

      • Os efluentes tratados são transferidos do tanque de arejamento para um clarificador secundário, para que os microorganismos sedimentem e sejam bombeados de volta ao sistema onde entraram como lodos activados.

      • O excedente, resultante do crescimento da população de microorganismos, é retirado e adicionado aos lodos em bruto do tratamento primário.

    • Tratamento terciário – separação biológica dos nutrientes, com o objectivo de eliminar o material inorgânico dissolvido, uma vez que são agentes causadores da eutrofização cultural.

      • Em alternativa à separação biológica dos nutrientes, podem ser realizados diversos processos químicos, sendo comum passar as águas residuais, provenientes do tratamento secundário, por um filtro de cal, promovendo a precipitação do fósforo, sob a forma de fosfato de cálcio.

      • Nem sempre é utilizado, uma vez que é muito dispendioso.

    • Tratamento quartenário – corresponde à limpeza e desinfecção final, em que as águas residuais são submetidas a uma última limpeza por filtração, através de uma camada de areia e posterior desinfecção.

      • O desinfectante mais utilizado é o cloro, sob a forma de gás, por ser muito eficiente e barato. Todavia, pequenas quantidades deste gás podem atingir os ecossistemas, prejudicando a fauna aquática. O cloro reage espontaneamente com alguns compostos orgânicos, formando hidrocarbonetos clorados, sendo alguns deles compostos tóxicos, não biodegradáveis, e passíveis de provocar cancro, crescimento anormal e problemas reprodutivos. Para evitar estes efeitos secundários, adiciona-se à água outra substância que converte o cloro numa forma quimicamente neutra.

      • Utiliza-se também o ozono, muito eficaz para eliminar microorganismos, ao mesmo tempo que decompõe o oxigénio, melhorando a qualidade da água. Contudo, o ozono é instável e explosivo, pelo que deve ser produzido no local onde vai ser usado, o que exige um grande investimento económico e energético.

      • Pode ainda ser utilizada radiação UV, que mata os organismos sem prejudicar a qualidade da água.


música: U5 - Preservar e recuperar o meio ambiente
biotemas:

publicado por Ana Silva Martins às 22:02
atalho biológico do post | comentar | favorito
|

29 comentários:
De a_criadora a 17 de Outubro de 2006 às 18:59
oiii!!!1bem, que site excelenteeeeeeee!eu ando no 12º anoi e axo k o resumo está mirabulásticooo simplesmente sempre k puder não me importo de contribuir para o site cm sites muitos interessantes e até mesmo trabalhos se kiserem...bem, quem fez este resumo foi uma aluna?
beijos doçes e mágicos borbuleta

op.s. o meu mail é a_borboletinhamagica@sapo.pt


De Tulipa_negra a 21 de Dezembro de 2006 às 15:52
Só tnh agradecer, eheh. Vou agr começar a estudar para o exame de 12º d biologia...e vou com certeza recorrer a isto. Vou fazer os resumos de biologia no pc. depois enviote td tb =)


De Ana Silva Martins a 27 de Janeiro de 2007 às 18:58
Ok ok! Fico à espera então... ;)


De Ana Silva Martins a 27 de Janeiro de 2007 às 18:59
Manda para anasilvamartins@sapo.pt


De Ana Silva Martins a 27 de Janeiro de 2007 às 19:07
Inda bem que achas que tem utilidade este blog.. A publicação de posts desta natureza deixa sempre a ideia de que poucas pessoas terão paciência para os ler... É bom saber que não é bem assim.. Sim, foi uma aluna que fez os resumos (eu, naturalmente) baseados na bibliografia recomendada e em algumas denominadas «bíblias» da Biologia, como o Campbell e o Life, não sei se conheces... enfim, o teu contributo será muito bem vindo de forma a que os assuntos referentes ao programa do 12º ano sejam actualizados e desenvolvidos, uma vez que eu, de agora em diante, não poderei escrever senão a respeito de assuntos abordados nas cadeiras da faculdade que têm naturalmente um nível de complexidade superior aquele que é exigido para o Ensino Secundário. Portanto, isso fica à vossa responsabilidade... =) Bom trabalho


De Natacha Gonçalves a 31 de Janeiro de 2013 às 14:52
Peço desculpa, mas "Inda" não existe. Escreve-se "Ainda".
Não precisa de agradecer! (:


De edith grilo a 16 de Maio de 2009 às 19:31
esta página safome de ter 0 no trabalho de C.N obrigado por o teres criado!!!
Lol


De Natacha Gonçalves a 31 de Janeiro de 2013 às 14:53
Escreve-se "safou-me" cambada de burros! "safome" não existe, pelo menos no meu planeta!!


De Natacha Gonçalves a 31 de Janeiro de 2013 às 15:02
borboleta mágica?!?! AHAHAHA QUE PANILASSSSSSSSSSSSSSSSS.
ah e uma pessoa que sabe o significado da palavra mirabulástico, também tem que saber que não se escrever com k e x


De Anónimo a 30 de Abril de 2007 às 18:31
Que pena dizer que citocianinas são hormonas vegetais. Creio que o termo correcto é citocinina!
Cumprimentos.


De Ana Silva Martins a 4 de Junho de 2007 às 18:15
Agradeço sinceramente a chamada de atenção. Tratou-se de uma distração quando escrevi o texto, uma vez que me parece que de seguida aparece na forma correcta. De qualquer forma, se dectar mais alguma incorreção agradeço o esforço de o salientar.. Mais uma vez obrigada.


De rui a 10 de Fevereiro de 2008 às 15:09
obrigado eu ando no 8 ano e a minha professora de ciencias mandou me fazer um trabalho e eu vou a proveitar tudo (ou quase)......fikem bem bjs
e obrigado


De Ana Silva Martins a 10 de Fevereiro de 2008 às 15:39
De nada .........


De Ana a 12 de Fevereiro de 2008 às 15:38
Gostava de obter informação sobre a Bioconservação de esteróides e antibióticos
E sobre agentes patogénicos.

anaazevedo80@hotmail.com


De Jorge Moreira a 11 de Março de 2008 às 23:48
ta mt fixe o post e muito útil, que rpara pesquisa de informação quer para estudo, obrigado ;)


De anonimo a 3 de Junho de 2008 às 11:16
isto esta uma porcaria!!!! tou a fazer um trabalho e esta merda n tem nada do que quero....fika bm e ve se fases alguma coisa de jeito !!!!


De Português correcto precisa-se a 23 de Abril de 2009 às 17:44
E tu aprende a escrever em português correcto. Deves andar na primária só pode.


De Natacha Gonçalves a 31 de Janeiro de 2013 às 14:56
para o caralho oh mal educado!


De anonimo a 3 de Junho de 2008 às 11:18
912600952


De Joana Homem da Costa a 26 de Maio de 2009 às 01:51
Muito bem! Estou a terminar uma tese de mestrado dedicada aos resíduos e digo que o que está aqui está bem explicado e claro. Não sabia que isto já se aprendia no Secundário, na minha altura não, tinha me dado jeito.
Mais alguma informação sobre a matéria, disponha, é um tema de grande interesse e vasto!
Continuação deste blogue muito útil! :)


De andre a 26 de Abril de 2010 às 14:12
adoro o vosso site! ta MUITO BOM!!
ta dar imenso jeito.. voces sao brilhantes =D=D
neste momento estamos a fazer um trabalho de biologia sobre tratamentos de residuos domesticos e gostaria, se possivel, que me enviassem toda a informaçao sobre esse assunto... eram uns queridos se o fizessem ;)
com muito agradecimento, andrezinho*
(bernas_bs4@hotmail.com)


De Natacha Gonçalves a 31 de Janeiro de 2013 às 14:55
MAS NINGUÉM SABE ESCREVER PORTUGUÊS AQUI?!?!?!


Comentar post

bio-autores
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26

28
29
30
31


posts recentes

Artigo Científico de Revi...

BioHelp - Helping on BioT...

Morfofisiologia S.R. masc...

Morfofisiologia S.R. femi...

Fecundação. Desenvolvimen...

Controlo da Fertilidade. ...

Mendel e leis da heredita...

Organização e Regulação d...

Tipos de Mutações. Mutaçõ...

Fundamentos e Aplicações ...

biotemas

Biologia 12º

biologia 12º

biologia celular e molecular

enzimas

Genética

imunologia

Informações

Reprodução

todas as tags

favorito

Renovação: Que papel para...

O Jogo do Ouro Negro

A Poluição das Palavras

atalhos biológicos
participar

participe neste bioblog

Nota Positiva
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds