BioHelp - Auxiliares de estudo em Biologia 12º, BioCell, Bioquímica e Genética.
Sábado, 30 de Setembro de 2006
Imunidade: conceitos prévios; Defesa não específica


Conceitos Prévios



Constituição do Sangue:


Plasma:

  • Componentes e função:

    • Água (90%):

      • Origem: absorção no intestino;

      • Mantém o volume do sangue e transporta as moléculas e iões.

    • Proteínas:

      • Origem: fígado;

      • Mantém o volume e pressão do sangue;

      • Coagulação e defesa (factor VIII).

    • Sais:

      • Origem: absorção no intestino;

      • Mantêm a pressão e pH do sangue;

      • Regulação da permeabilidade da membrana.

  • Substâncias transportadas pelo Plasma:

    • Nutrientes;

    • Gases respiratórios;

    • Resíduos de catabolismo;

    • Hormonas.


Elementos celulares:


Hemácias:

    • Origem: medula vermelha dos ossos.

    • Características e Função:

      • Forma de disco bicôncavo (relação área/volume mais favorável – facilita a ligação dos gases à hemoglobina)

      • Não tem núcleo nem organelos citoplasmáticos.

      • Contém hemoglobina (transporte de gases respiratórios).






Leucócitos:

Origem: medula vermelha dos ossos.


Tipo

Nome

%

Forma

Morfologia

Função

Agranulares: núcleo não dividido em lobos e citoplasma não granuloso.

Linfócitos

20 a 30


Núcleo esférico e volumoso rodeado por um anel muito estreito de citoplasma

Produção de anticorpos.

Activos na reacção a antigénios e nos mecanismos de rejeição de enxertos.

Monócitos







3 a 8



Núcleo excêntrico em forma de rim ou ferradura

Circulam no sangue durante poucas horas e depois migram para os tecidos, aumentam de tamanho e transformam-se em macrófagos, vivendo muito tempo e com actividade fagocitária.

Granulares: núcleo multilobado e citoplasma granuloso.

Neutrófilos

65 a 70



Núcleo com formas variadas: normalmente constituído por 3 a 5 lobos irregulares ligados por finos filamentos

Actividade fagocitária elevada, sendo normalmente os primeiros a chegar aos tecidos infectados, atraídos por quimiotaxia. Normalmente morrem quando fagocitam bactérias, constituindo grânulos de pus.

Eosinófilos ou Acidófilos

2 a 4


Núcleo normalmente bilobado

Actividade fagocitária limitada (parasitas).

Reduzem a reacção inflamatória, pela produção de enzimas que degradam as substâncias químicas produzidas por basófilos

Basófilos

0,5 a 1

Núcleo volumoso de forma irregular, retorcido

Elaboram heparina, substância anticoagulante, e histamina.

Plaquetas Sanguíneas:

    • Origem. Medula Óssea.

    • Corpúsculos celulares anucleados de reduzido tamanho.

    • Favorecem a coagulação do sangue.

Sistema Imunitário


O sistema imunitário é constituído por um conjunto de órgãos, tecidos e células capaz de:

    • reconhecer os elementos próprios e estranhos ao organismo

    • desenvolver acções que protegem o organismo dos agentes patogénicos e das células cancerosas.


Componentes do Sistema Imunitário:

Órgãos Linfóides Primários: Onde ocorre o processamento, maturação e diferenciação dos linfócitos.

    • Timo

    • Medula Óssea.

Órgãos Linfóides Secundários ou Periféricos: locais de armazenamento, circulação e desenvolvimento da resposta imunitária.

    • Baço

    • Gânglios Linfáticos

    • Amigdalas

    • Tecido linfático disperso

Células efectoras:

      • Fagócitos:

    • Neutrófilos

    • Eosinófilos

    • Monócitos Macrófagos

      • Produção de substâncias químicas (histamina):

    • Mastócitos (células do tecido conjuntivo).

    • Basófilos

      • Linfócitos:

    • Linfócitos B Plasmócitos Imunidade mediada por

(medula óssea) (gânglios linfáticos) anticorpos

    • Linfócitos T Células T Imunidade mediada por

(Timo) células


O reconhecimento dos elementos próprios e estranhos ao organismo baseia-se num conjunto de glicoproteínas superficiais da membrana citoplasmática que funcionam como marcadores celulares. Estas glicoproteínas são codificadas por um conjunto de genes localizados no cromossoma 6, sendo designado complexo principal de histocompatibilidade (MHC). Desta forma, cada indivíduo tem uma identidade bioquímica única.

Antigénio – molécula que pode ser reconhecida como estranha pelas células do sistema imunitário, pois possui marcadores de superfície (determinantes antigénicos) diferentes dos que possuem estas células.

Anticorpo – proteína específica (imunoglobulinas) que reconhecem os antigénios, ligando-se a estes. São produzidos pelos plasmócitos.


Propriedades relevantes apresentadas pelos leucócitos:

    • Diapedese – Migração dos leucócitos através dos poros do endotélio dos vasos sanguíneos para os tecidos envolventes. Só possível devido à sua capacidade de mudar de forma.

    • Fagocitose – Captura, por endocitose, de células ou restos de células que são destruídas em vesículas digestivas.

    • Quimiotaxia – processo de atracção dos neutrófilos e outros leucócitos para áreas de tecidos lesionados, através de sinalizadores químicos libertados pelas células lesionadas, proteínas de complemento activadas, linfócitos e outras substâncias.



Fagocitose


Fagocitose: tipo de endocitose em que determinadas células englobam partículas para proceder à sua digestão e eliminação.



Células fagocitárias:

    • Neutrófilos;

    • Monócitos;

    • Eosinófilos.

Descrição do processo:

  1. Os agentes patogénicos, vírus e outras células são reconhecidos pelos anticorpos que se ligam aos antigénios específicos.

  2. A célula fagocitária emite pseudópodes que auxiliam no processo de endocitose, de modo que a que o agente patogénico penetre no interior desta célula.

  3. O agente patogénico é degradado por enzimas lisossomais existentes nos lisossomas.

  4. Os produtos de excreção são expelidos por exocitose e encaminhados para o exterior através dos gânglios linfáticos.



Defesa Não Específica


Defesa não específica ou imunidade natural/inata:

    • presente desde o nascimento;

    • não está especificamente destinada para um agressor;

    • não distingue os agentes infecciosos uns dos outros;

    • exprime-se sempre do mesmo modo

    • não tem memória.



1ª Linha de defesa


Barreiras físicas e secreções:

    • Pele: Previne a entrada de patogenes e substâncias estranhas que raramente penetram quando a pele está íntegra.

    • «Flora normal»: fungos e bactérias que normalmente vivem e se reproduzem em grande número nas superfícies do nosso corpo, competindo por espaço e nutrientes com os agentes patogénicos, constituindo um tipo de defesa.

    • Muco segregado por tecidos dos sistemas visual, respiratório, digestivo, excretor e reprodutor captura bactérias e outros agentes patogénicos.

    • Secreções ácidas: inibem o crescimento bacteriano na pele.

    • Pêlos nasais: filtram as bactérias nas passagens nasais.

    • Cílios: movem o muco e retêm materiais longe do tracto respiratório.

    • Suco gástrico: concentrado de HCl e proteases que destroem patogenes no estômago.

    • Lágrimas e saliva: lubrifica e limpa; contém lisozima, que ataca a parede celular de inúmeras bactérias.


2ª Linha de defesa


Resposta Inflamatória:

  • Ocorre quando agentes patogénicos conseguem ultrapassar as barreiras físicas de defesa do organismo, na zona de penetração (acção localizada).

  • Processo:

  1. Produção de mediadores químicos ( principalmente histamina1) pelo tecido ferido, mastócitos e basófilos.

  2.  Vasodilatação dos capilares do local maior afluxo de sangue vermelhidão e calor

  3.  Aumento da permeabilidade da parede dos capilares sanguíneos filtração abundante de fluído para o tecido edema

  4.  Saída dos capilares de plasme e de alguns leucócitos por diapedese: neutrófilos (1º a chegar) + monócitos (macrófagos) fagocitose

  5.  Factores de coagulação reparação de tecidos

  • Resposta Sistémica:

    • É accionada quando os agentes patogénicos são particularmente agressivos e ocorre em várias partes do organismo.

    • Caracteriza-se por.

    • Aumento do número de leucócitos em circulação – resulta da estimulação da medula óssea por substâncias químicas produzidas pelas células lesadas.

    • Febre – desencadeada por toxinas produzidas pelos agentes patogénicos ou por pirógenos produzidos por leucócitos, que actuam sobre o hipotálamo e regulam a temperatura do corpo para um valor mais alto. A febre moderada é benéfica porque acelera as reacções do organismo, estimulando a fagocitose e a reparação dos tecidos lesados. Adicionalmente, inibe a multiplicação de alguns microorganismos.´

  • Em consequência do processo inflamatório pode ocorrer a acumulação de pus, que é constituído por células mortas (neutrófilos e corpos celulares atingidos) e pelo plasma libertado. Numa fase final, o pus é, geralmente, consumido e digerido pelos macrófagos.



Interferão:

    • mecanismo contra infecção por vírus:

                           1 - o vírus liga-se a uma célula

                          2 - Ocorre produção de interferão por essa célula.

                          3 - O interferão entra na circulação e liga-se aos receptores membranares das células vizinhas.

                         4 - As células ligadas ao interferão produzem proteínas antivirais que bloqueiam a multiplicação de qualquer vírus que entre na célula.


Sistema Complemento:

    • Constituído por uma série de cerca de 20 proteínas do plasma (produzidas no fígado, baço, intestino...) e que, normalmente, circulam no sangue no estado inactivo.

    • Após activadas, as diferentes proteínas podem:

    • Aumentar a vasodilatação e a permeabilidade dos vasos facilitando a saída de fagócitos;

    • Facilitar a fagocitose: os fagócitos reconhecem células estranhas mais facilmente após as proteínas complemento se ligarem a essas células;

    • Formar poros na parede da célula bacteriana, por onde entram fluídos e sais (iões) que provocam o seu rebentamento por choque osmótico.

    • As proteínas de complemento actuam numa sequência característica ou em «efeito cascata», no qual cada proteína activa a seguinte.

1 Histamina: substância produzida por basófilos que circulam no sangue e mastócitos do tecido conjuntivo. Estimula a vasodilatação e aumenta a permeabilidade dos capilares sanguíneos, iniciando a reacção inflamatória.


música: U3 - Imunidade e Controlo de Doenças

publicado por Ana Silva Martins às 22:38
atalho biológico do post | comentar | favorito
|

bio-autores
pesquisar
 
Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26

28
29
30
31


posts recentes

Artigo Científico de Revi...

BioHelp - Helping on BioT...

Morfofisiologia S.R. masc...

Morfofisiologia S.R. femi...

Fecundação. Desenvolvimen...

Controlo da Fertilidade. ...

Mendel e leis da heredita...

Organização e Regulação d...

Tipos de Mutações. Mutaçõ...

Fundamentos e Aplicações ...

biotemas

Biologia 12º

biologia 12º

biologia celular e molecular

enzimas

Genética

imunologia

Informações

Reprodução

todas as tags

favoritos

Renovação: Que papel para...

O Jogo do Ouro Negro

A Poluição das Palavras

atalhos biológicos
participar

participe neste bioblog

Nota Positiva
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds